01 outubro 2010

[...]

    http://1.bp.blogspot.com/_f9QhufKJbs4/TKZfii0qYvI/AAAAAAAAAyE/ZN3c5aL7qiM/s1600/areia.jpgEles estavam prestes a se queimarem
    na chama do desejo que os consumiam,
    embriagados pela saudade,
    sentiam a textura de suas peles através
    do atrito que elas produziam.

    Seus corações batiam em um novo ritmo,
    um ritmo de lambada.
    Ali, provavelmente, morreram as dúvidas e as mágoas do passado.
    Neles já não havia vestígios de amores recolhidos e mal terminados de um agora desconhecido passado.

    Entre eles as segundas intenções já não serviam mais como as segundas e sim como as primeiras,
    destiladas em seus incansáveis e prolongados entreolhares,
    eles se perdiam neles mesmos e por lá se encontravam e se perdiam outra vez.