19 março 2011

DICAS: Minigrafias - Luís Araujo Pereira

    http://3.bp.blogspot.com/_f9QhufKJbs4/TJp_Ar4gEXI/AAAAAAAAAxI/WSQ4ZJ3Dm8U/s1600/minigrafias.jpgO Título do livro, Minigrafias, associa a construção poética do livro a um projeto do modernismo, a poesia pílula de Oswald Andrade por exemplo.
    Tanto é que no livro Minigrafias, os poemas são curtos, falam de instantes da vida.

    Na parte de trás do livro, há uma fotografia de um francês chamado Cartier-Bresson, um dos mais importantes responsáveis pela modernização na fotografia.
    A foto que está no livro foi tirada atrás de uma estação, tanto é que o nome da foto é "Atrás da Estação de São Lázaro", tirada em 1932. A Foto mostra um homem pulando uma poça d'água ou pulando para uma poça d'água.

    Antigamente as pessoas posavam para as fotos, ficavam estáticas na foto. Cartier inventou que as pessoas deveriam estar em movimento quando fotografadas, a foto
    deveria captar algo que está acontecendo, capturar um instante, capturar um momento da vida. Essa captura de movimento se remete a vários poemas da obra de Luís de Araujo Pereira pois no seu livro são encontrados fragmentos da vida, momentos vividos e gravados pela escrita - minigrafias.

    Fotografia; Grafia vem de gravar, escrever. Foto vem de luz. Logo, Fotografia é algo
    que se escreve/captura com a luz. Isso tem muito haver com o título que é Minigrafias,
    são as escritas de um mínimo, um instante e isso como você já sabe se relaciona com os
    poemas da obra pois são curtos/pequenos/minigráficos e falam de assuntos mínimos
    da vida, os poemas de minigrafias falam em sua maiora de instantes da vida,
    de momentos fotográficos da vida.

    O Primeiro poema, chama-se O livro como fresta, é um poema metalinguístico e associa o livro com uma pequena abertura que se permite ver além. O Rio é uma palavra fluente, lembra muito do poema chamado Rio Sem Discurso do João Cabral de Melo Neto.

    O Livro Minigrafias pode ser relacionado a certos gêneros textuais, é que a minigrafia pode ser
    associada há certos gêneros contemporâneos, como por exemplo outdoors, revistas de quadrinhos e a tudo aquilo que é minimo, a tudo aquilo que necessita passar informação em um espaço mínimo. É interessante como que essa ideia é pensada, na página 125, com um poema chamado mini HQ(HQ = Histórias em Quadrinhos), esse poema é uma mini história em quadrinhos, ele mantem até o estilo literário de obras desse tipo, uma demonstração clara disso
    é que neste poema tem onomatopéias que são caraceteristicas de HQ's outro aspecto relevante deste poema é o seu formato, o formato de um quadrado, o que é bastante comum em HQs,
    um espaço pequeno pra se passar informações.

    Texto elaborado graças as aulas do Professor Adriano Alves.