25 fevereiro 2012

Ensaio sobre a cegueira


    Ensaio sobre a cegueiraNo dia 25 de fevereiro (por volta das 16:30), eu terminei de ler este livro do falecido portuga José Saramago.
    Quem me recomendou este livro foi o Professor Rodrigo Grabóis (@prof_grabois), conheci ele no segundo semestre de 2010 quando fazia cursinho pré-vestibular no Colégio Planeta - ele me deu aula de Geohistória.

    O Livro trata de uma "cegueira branca" que começa a atingir as pessoas de uma forma misteriosa. Claro, isso de um modo superficial pois o livro trata mesmo é das questões sociais das pessoas em um estado de calamidade - na verdade eu diria até apocalíptico -, ou não.

    Recomendo este livro pra quem não gosta de coisas superficiais como Crepúsculo e Harry Potter, sem ofensas é claro pois eu também gosto destes dois. Disse desta maneira porque este é um daqueles livros que não foram escritos pra agradar - digamos assim.

    A Leitura pode parecer um puco complicada no começo por conta da "tradução", o que é um pouco chato no começo mas depois de alguns capítulos você se acostuma.

    Como sempre, deixo aqui algumas frases do livro que me chamaram a atenção:
    "todas as imagens da igreja estão com os olhos vendados"

    "a gente nova conforma-se rapidamente, têm a vida toda por diante."

    "mulheres, quem não as conhecer que as compre."

    "sem falar das dores, que depois da morte são piores"

    "é preciso esperar, dar tempo ao tempo, o tempo é que manda"

    "Morrer sempre foi uma questão de tempo, disse o médico"

    "Não somos imortais, não podemos escapar à morte"


    "É um velho costume da humanidade, esse de passar ao lado dos mortos e não os ver"

    "É bem certo que o difícil não é viver com as pessoas, o difícil é compreendê-las, disse o médico."